League of Legends

Opinião: Não existe grupo da morte no Worlds 2020

A representante brasileira INTZ está no grupo A e não terá vida fácil

No mundo do League, o Worlds é um evento equivalente a Copa do Mundo de futebol, ou então as Olimpíadas. É a maior competição mundial da categoria e os melhores representantes de todo mundo disputam uma vaga entre as melhores 16 equipes.

Como uma região considerada fraca e em desenvolvimento, o Brasil tem direito apenas a uma vaga (indireta) para a competição. O vencedor do segundo split do CBLoL se classifica para o play-in da competição, uma espécie de “pré-mundial”.

Desde que é disputado neste formato, nenhuma equipe brasileira chegou a se classificar para a fase de grupos do mundial. Neste ano, as quatro equipes que avançarão para a próxima etapa serão definidas em um novo formato.

FORMATO PLAY-IN 2020

As 10 equipes foram divididas em dois grupos, A e B, nos quais elas se enfrentarão. Cada equipe fará 4 jogos, um contra cada de seus adversários de grupo em disputas no formato md1. A equipe melhor classificada de cada grupo já estará garantida na próxima fase.

As 10 equipes do play-in foram sorteadas em dois grupos. Reprodução: lolesports.com

O segundo ao quarto de cada grupo passarão a uma segunda rodada do play-in, um mata-mata que se assemelha a escalada que já foi utilizada no CBLoL. Terceiro e quarto lugar de um mesmo grupo se enfrentam. O vencedor de cada uma destas partidas enfrenta o segundo colocado do outro grupo.

RETROSPECTO NEGATIVO

Quando se trata de Worlds, o Brasil realmente não é um dos grandes favoritos, longe disso. As equipes brasileiras acumulam ,durante os anos, passagens vexatórias por mundiais, alegando um gap no nível entre a competição nacional e a internacional muito grande pra ser coberto com apenas uma experiência a esta altura por ano.

2014

O CBLoL tem um participante garantido no mundial desde o ano de 2014. Na epóca, o primeiro representante da região no cenário internacional foi a KaBuM! e a primeira participação de uma equipe do CBLoL em mundiais terminou com apenas uma vitória e a última colocação geral.

O toplaner LEP foi muito criticado devido ao score negativo e a jogadas duvidosas, como seu eternizado teleporte contra a C9.

Era outra época, mas a disparidade de nível (mecânico e de macroplay) entre a equipe brasileira e os representantes de outras regiões já ficou claro para todo o mundo. É sempre bom relembrar o famoso teLEPorte.

2015

No ano de 2015, a paiN foi a grande campeã do segundo split do CBLoL, numa final eletrizante contra a INTZ. Assim, foi a representante do Brasil na competição internacional, e fez aquela que até hoje é conhecida como a melhor campanha de uma equipe brasileira no Worlds, com duas vitórias e quatro derrotas.

A pain terminou como a 13ª colocada geral do mundial e o destaque desta campanha foi a última vitória da equipe brasileira, contra a CLG, após o microfone do atirador lendário Doublelift capturar o jogador dizer que queria stompar os brasileiros logo para parar de receber mensagens sobre o Brtt ser melhor adcarry do que ele.

2016

Em 2016 a INTZ, atual campeã do CBLoL, foi a representante brasileira. Com a formação que ficou imortalizada como o Exódia, os intrépidos chegaram aos Estados Unidos com grandes expectativas. Logo no primeiro jogo uma surpresa positiva, uma vitória inesperada contra um dos favoritos do Worlds 2016, a Edward Gaming, da China.

Apesar do início promissor, a INTZ não venceu mais na competição, amargando a 14ª colocação geral.

2017

Já em 2017 foi a vez da line promissora da Team One representar o Brasil. Jogadores novos e com grande potencial tais como 4lan e Brucer caíram nas graças do torcedor brasileiro após uma grande vitória na final do CBLoL no Mineirinho.

Line da Team One para o mundial de 2017. Reprodução: Arena eSport

No entanto, o resultado não foi muito diferente. A equipe não se encontrou na competição, desempenhando uma gameplay abaixo até do que mostraram no Brasil, e foram eliminados da competição ao serem derrotados no desempate do grupo contra a Dire Wolves.

2018

Após mais um ano de apenas “experiência” no mundial, mais uma equipe tradicional voltou a disputar a competição em nome dos brasileiros. A KaBuM! fez seu grande retorno ao mundial, com uma line-up de novas estrelas tais como Titan, Dynquedo e Ranger.

Os ninjas não conseguiram engrenar em 2018. Reprodução: techtudo.com

No entanto, os ninjas mantiveram o retrospecto negativo brasileiro e amargaram um histórico de 1-3, apenas para serem eliminados no tie breaker do grupo, contra os japoneses da Detonation FocusMe.

2019

A última participação de uma equipe brasileira no mundial foi na edição do ano passado. Em 2019, a expectativa por um grande desempenho do representante do CBLoL no Worlds era alta, a line da equipe era bem forte e contava com nomes consagrados como Robo e Brtt, coreanos como Shurimp e Luci, além do promissor mid laner Goku.

A line-up do Flamengo em 2019. Reprodução: twitter.

Mais uma vez a equipe brasileira não foi o suficiente. Num grupo de play-in que contava com a DAMWON da Coréia e a Royal Youth da Turquia, o time brasileiro terminou sua participação com apenas uma vitória e amargou a última colocação geral do campeonato.

MAIS UMA VEZ

A INTZ volta ao mundial do League of Legends após quatro anos. Desta vez sem Exódia, mas com nomes acostumados com a competição internacional, tais como Micão, RedBert e Jockster (comissão). A chave da equipe brasileira durante o ano tem sido seu entrosamento, desde a repescagem no quase rebaixamento no início do ano até levantar a taça do CBLoL 2020/2.

GRUPO DA MORTE?

A cada ano que se passa, perde-se um pouco o pensamento de um grupo fácil, mesmo no play-in da competição. Mesmo que a INTZ não tenha evitado enfrentar o representante do NA Team Liquid e o representante europeu MAD Lions, escapou (pelo menos inicialmente) de um confronto direto contra o quarto seed chinês LGD, e o promissor segundo seed da liga do pacífico, o PSG Talon.

O caminho não será fácil. Garantir vitórias contra Legacy e SuperMassive, representantes da Oceania e Turquia respectivamente, são essenciais para almejar uma boa colocação no grupo. A expectativa, num cenário ideal, é que a INTZ se classifique para a escalada (terceiro ou quarto do grupo), venca sua md3 e enfrente um PSG Talon, que vem desfalcado ao mundial.

CALENDÁRIO

Confia a data e os horários dos jogos da INTZ no mundial:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: